sexta-feira, 29 de junho de 2007
EDITORIAL.

Esperar que algo caia em nossas mãos por vontade e ação de alguém; é, no mínimo, ingenuidade de nossa parte. Quanto mais deixamos nosso destino nas mãos de outras pessoas, mais somos prejudicados.

Assistimos ontem (29/06) a um espetáculo de escárnio e certeza de impunidade, promovido pelo Senador Joaquim Roriz. Fingindo, claramente, voz de choro e bradando preces a Jesus e a Nossa Senhora, o “ilustre” senador tentou explicar, o inexplicável. O recebimento e a partilha de um cheque de dois milhões de reais de um grande empresário do ramo de transportes.

Você pode se perguntar: “O que isso tem a ver com o assunto abordado aqui?”

Eu, sem medo de errar, te digo: “Tudo”.

Por que? Simples. Tais acontecimentos, além de muitos outros, ressaltam a verdadeira personalidade e os verdadeiros objetivos de nossos políticos: O enriquecimento.

Esperar que, por parte deles, haja alguma movimentação em prol dos lesionados ou dos aposentados, seja por invalidez ou não, é o mesmo que esperar o arrependimento de Lúcifer. Todo mundo sabe que pode acontecer, mas ninguém apostaria nada nisso.

Quando os bancos, seus principais financiadores e padrinhos estão por trás das maiores taxas de acidentes de trabalho por D.O.R.T./L.E.R. e as grandes empresas são responsáveis por grande número de infrações aos direitos trabalhistas; o que esperar além da manutenção do “status quo?” Que político iria contra seu verdadeiro patrão (aquele que o banca e o enriquece) em favor de pessoas desconhecidas e sem recursos?

Temos que aprender, de uma vez por todas, que quaisquer melhorias em nossa situação que consigamos; deve ser fruto de nossa união e luta. Humilhações, maus tratos, descaso, abandono e sofrimento, serão palavras cada vez mais constantes em nossas vidas se continuarmos a pensar apenas em nós, como indivíduos. A todo instante, as forças da corrupção se unem e de aplicam na descoberta de novas maneiras de impedir nosso acesso aos direitos assegurados pela lei. Ficar sentado esperando que essa situação se reverta, é assinar nossa sentença de morte.

 
posted by Arthurius Maximus at 02:18 | Permalink |


2 Comments:


At 29 de junho de 2007 11:18, Blogger Alyda

Como moro em Brasília, te digo que o Roriz aqui é figurinha carimbada, para nós não é novidade.
Na última campanha dele para governador, ele estava muito individado com empresários que financiaram sua campanha, ele tinha de ganhar ou ganhar, pois se não perderia uma fazenda. A periferia é curral eleitoral do Roriz, ele construiu todas as favelas que se tem por aqui, as chamadas cidades satélites. Era trazer gente do nordeste, para trocar terrenos por votos. Na última campanha tiveram muitas acusações de crime eleitoral e ele sempre com sua fala mansa, citando o nome de Deus. Se eu for contar tudo aqui, vira um novo post.
Este é nosso país, e este é o nosso Roriz.

Parabéns pelo teu post.

 

At 4 de julho de 2007 17:02, Anonymous rosa

É dizem que a "união faz a força" e geralmente pensamos em somente nós individuos, se nos juntassemos e pedissemos prestação de contas nas prefeituras e em todas as escalas do poder, devagar isso iria mudar, mas no maximo que acontece é um murmurio aqui outro ali. E esta corja vai se enriquecendo as nossas custas.
Triste realidada a nossa. Abraços

 
BlogBlogs.Com.Br